Ela dificilmente se casa, marido e filhos não são prioritários. Um dia começa a pensar na velhice que vem chegando e pensa em ter um filho ( talvez se casar). Sente-se meia derrubadinha, já não “dá” para quem quer “dar”, já teve algumas desilusões e algo lhe faz falta, mas não sabe bem o que.

Começa a procurar algo fixo, mas não sabe como: não teve educação para ter marido e filhos. Vai logo dizendo que quer sua liberdade, ou seja: quer se casar e levar a mesma vida de solteira.
Chega até ter argumentos: tem algumas amigas casadas assim e está dando certo, porém não percebe ter menos de 7 anos estas uniões (muitas acabam em 2 anos, em média 7, raramente chegam aos 20 e jamais aos 30 anos) e que logo estarão separadas. O marido não tem segurança no futuro, não sabe onde a esposa está e nem mesmo se os filhos que cria são dele (se sente um trouxa por sustentar prole alheia e mulher que não é sua).

Continua com as amizades e atitudes de solteira: telefonemas alegres com os “amigos” e aos encontrar trocam abraços, beijos e até mesmo carícias na barriguinha (isto na frente do marido). Isto é constrangedor: ele a ama e tenta se segurar, mas a confiança no futuro acaba e isto vai corroendo. Qualquer adulto sabe que de intimidades para o “tesão” e a cama é uma distância curta (e ela finge não saber).

O relacionamento de homens e mulheres não dá certo assim.

Eu sei que tenho meu orgulho e que vou, muito provavelmente, terminar minha vida só (a não ser que encontre minha Amélia que talvez hoje se chame Naná - mulher moderninha é para namoricos).

Escrevo estas palavras no início de um relacionamento com uma mulher moderninha. Estou muito apaixonado, ela é maravilhosa, mas acho que ela vai por tudo a perder. Não sabe porque não inspira confiança nos homens e estes apenas a levam para a cama.

Moderninha, abra teus olhos, te amo muito. Depois de mim poderá ter mais 2 ou 3 “casamentos”, mas vai acabar só. Nos amamos muito e temos que deixar as modernidades de lado, pois caso contrário iremos nos magoar até nos separarmos. Temos muito o que conversar. Muitas falsas verdades estão em sua cabeça....

Moderninha, não me magoe, não jogue fora em um conta-gotas de muita dor todo o amor que lhe tenho.

FATOS:

70% das separações são pedidas pela mulher

95% das traições cometidas pela mulher que trabalha é na hora do almoço

a mulher que trabalha trai 8 vezes mais

o casamento ou morar junto está tendo uma média de duração de 7 anos, mas quando a mulher trabalha esta média cai para 4 anos.

o uso de drogas entre os filhos da mulher que trabalha é 4 vezes maior

a criminalidade entre os filhos da mulher que trabalha é 3 vezes maior

a mulher que trabalha se separa mais - a maioria dos criminosos e drogados são filhos de casais desfeitos - a mulher toma mais iniciativa de se separar e portanto tem mais culpa nas drogas e criminalidade dos filhos

para se criar um filho se precisa do amor terno da mãe e do amor duro do pai

quando o marido e a mulher trabalham juntos (são médicos, dentistas, advogados ou donos de comércio) o casamento é mais durável que qualquer outro. Nestes casos é comum casamentos com 10, 20, 30 anos e que vão durar para sempre.

CURIOSIDADE - Há alguns anos tive uma namorada que me deixou esperando no cartório. Era uma meiguice e me tratava como um semideus, mas quando a irmã estava por perto ela me tratava com dureza.

 

Conhecer a história de um homem que teve a vida destruída por ex-mulher que implantou falsas memórias nos filhos.

comente: blog@artisnobilis.com

Voltar ao início do Blog