Nos Curta no Facebook

Fecha em 30 Segundos...!!!Fechar Agora X

1º Lugar nas Buscas Orgânicas - Confira Clientes Satisfeitos

Os MÉDICOS NUTRÓLOGOS recomendam um equilíbrio de carnes, gorduras e vegetais www.bbc.co.uk/2015/02/150128 ( no Reino Unido todo médico é pesquisador - a melhor medicina pública do mundo )... Veganos se tornam comunistas, gays e retardados. Somos onívoros e precisamos equilibrar, vegetais, carnes e gorduras. Palavra dos maiores nutrólogos do mundo. Nutrólogos são médicos, na Inglaterra os Nutrólogos são médicos pesquisadores. Sem este equilíbrio cai a testosterona e os homens perdem a coragem... Assim ninguém enfrenta o PT.

Pesquisas do Governo do Japão indicam que vegetarianos perdem interesse pelo sexo br.noticias.yahoo.com Veganismo faz parte da destruição da humanidade... Queda de natalidade...

http://epocanegocios.globo.com Veganismo faz parte da destruição da humanidade...

Não confie que veganismo produza a vitamina B12 suficiente http://www.alimentacaosemcarne.com.br sempre faltará B12 em Humanos Veganos. As vacas e morcegos conseguem através de bactérias que possuem no intestino, mais as que contaminam seus alimentos... Os humanos tem pouca quantidade destas bactérias no intestino e mesmo as ingerindo, ainda não terá a produção suficiente de B12. Está mais claro ao final do artigo, mas leia tudo!

Benefícios dos lipídios ao organismo – Após fazer a digestão é necessária a gordura animal para transportar os nutrientes para o interior das células. Estes compostos cumprem várias funções importantes para o organismo, dentre elas fazer parte da estrutura de todas as células do organismo, ser o maior meio de estocar nutrientes, funcionando como reserva de energia, ser os precursores de hormônios (como testosterona, estradiol, progesterona e muitos mais), de vitaminas e da bile, atuam como protetores de órgãos vitais e são importantes para o isolamento térmico. Por essas razões, as gorduras são indispensáveis para o organismo. www.abcdasaude.com.br

Vegetarianos têm mais chance de câncer e ataques do coração www.theepochtimes.com

Colágeno Precisamos Ingerir 12 Tipos Diferentes Extraídos de Origem Animal

1- Gelatina de ALGAS não contém COLÁGENO. Todos os NUTRÓLOGOS recomendam o colágeno. Só os FALSOS VEGETARIANOS têm saúde, como no caso da ANGÉLICA HULK que não come carne, mas ingere 10 Gramas diárias de COLÁGENO (indicado para a idade dela). Colágeno é extraído de ANIMAIS. Começamos a MORRER aos 17 anos...

Precisamos ingerir 12 TIPOS DIFERENTES de COLÁGENOS no mínimo. O colágeno, QUERATINA, nos protege de infecções intestinais como a APENDICITE, impede a passagem de bactérias do intestino para o organismo em geral, e está presente no BUCHO... Quando ingerimos EMBUTIDOS como a linguiça, estamos ingerindo pequena quantidade de queratina presente na tripa que embute a linguiça. Nossas ARTÉRIAS são compostas basicamente de ELASTINA e QUERATINA, a ELASTINA proporciona a elasticidade necessária a grandes esforços cardíacos e a QUERATINA principalmente impede a Septicemia ( infecção generalizada ) Além da QUERATINA e ELASTINA precisamos ingerir mais 10 tipos de colágeno (existem mais de 21 tipos).

Lendo abaixo entenderá a razão dos chinêses comerem olhos.

Nós humanos somos ONÍVOROS, e todo o restante é para ganhar dinheiro...

Muitos nutricionistas são formados pelos fundamentos comunistas. Nutrição é coisa séria!


1- Colágeno

Representação da trípla hélice do colágeno.
O colágeno PB ou colagénio PE é uma proteína de importância fundamental na constituição da matriz extracelular do tecido conjuntivo, sendo responsável por grande parte de suas propriedades físicas.

Índice
1 Características Gerais dos Colágenos
2 Classificação
2.1 Tipos de colágeno
2.1.1 Colágeno Tipo I
2.1.2 Colágeno Tipo II
2.1.3 Colágeno Tipo III
2.1.4 Colágeno Tipo IV
2.1.5 Colágeno Tipo V
2.1.6 Colágeno Tipo VI
2.1.7 Colágeno Tipo VII
2.1.8 Colágeno Tipo VIII
2.1.9 Colágeno Tipo IX
2.1.10 Colágeno Tipo X, XI e XII
2.2 Colágeno que formam longas fibrilas
2.3 Colágenos associados a fibrilas
2.4 Colágeno que forma rede
2.5 Colágeno líquido, capsula ou pó


Características Gerais dos Colágenos


O colágeno é sintetizado intracelularmente em pequenas porções e exportado para fora da célula, onde, através da atuação de enzimas polimerizantes, é definido com a estrutura própria de colágeno, em hélice-tripla. Cada uma destas 3 "fitas" de proteínas são formadas quase inteiramente por glicina (que representa 1/3 da seqüência), prolina e lisina, como por mais dois aminoácidos que são modificados após serem colocados pelos ribossomos: a hidroxiprolina e a hidroxilisina. Esses dois últimos são derivados respectivamente da prolina e da lisina através de processos enzimáticos que são dependentes da vitamina C. Por esse motivo, a deficiência dessa vitamina leva ao escorbuto, uma doença relacionada a problemas na síntese do colágeno, causando hemorragia (vasos sanguíneos e pele possuem colágeno na sua constituição)..

O colágeno ou gelatina, como conhecemos, é a classe mais abundante de proteínas do organismo humano e representa mais de 30% de sua proteína total, sendo obtidos industrialmente principalmente através dos bovinos e ovinos.

No corpo humano, o colágeno desempenha várias funções, como, por exemplo, unindo e fortalecendo os tecidos. Com o passar do tempo, o corpo pode sofrer algumas privações desta substância, principalmente na alimentação atual, muitas vezes carente de vitaminas e proteínas. Durante os primeiros anos até a puberdade, essas deficiências não são visíveis e nem mostram suas evidências. A falta de colágeno vai se tornar mais visível e notável quando o homem entra na fase da maturidade, fase em que há uma possibilidade maior dele sofrer fraturas com freqüência. Também é nessa etapa da vida que começam a aparecer as rugas, pois a pele não tem mais a mesma elasticidade de antes.

A partir deste momento, é interessante fazer uma análise para examinar o que está danificado ou gasto pelo tempo, para fazer mudanças que possibilitem que seu corpo siga em frente e continue a operar seus shows de transformações. Praticar exercícios físicos, reforçar a alimentação saudável, levar uma vida regrada e saudável, tem uma grande colaboração.

A deficiência de colágeno no organismo denomina-se colagenoses, acarretando alguns problemas como má formação óssea, rigidez muscular, problemas com o crescimento, inflamação nas juntas musculares, doenças cutâneas, entre outros.

Todos os mamíferos fabricam o colágeno e seu uso se estende em diversas áreas de aplicação. No setor alimentício, ele é usado na fabricação de iogurtes, embutidos (salsichas, presunto, rosbife) e para sobremesas de fácil preparação (sobremesas de gelatinas, pudins, maria-mole, baianu´s e Pint), sendo também muito utilizado na área de cosméticos e produtos fármacos (cápsulas moles e duras são de gelatina obtida do processo de hidrólise parcial do colágeno, por exemplo).

O colágeno hidrolisado é o colágeno que passou por processo de hidrólise (hidros=água + lise=quebra) ou seja a grande cadeia proteica se quebra em um ponto, agregando uma molécula de água em sua estrutura. O processo de hidrólise mais comum utilizado pelas indústrias é através de enzimas específicas que garantem um tamanho mínimo desses fragmentos proteicos (normalmente próximo de 5000 Daltons). É justamente o tamanho do fragmento proteico que garante a absorção pelo organismo (cerca de 90%) através do trato intestinal, chegando facilmente à corrente sanguínea. Já a síntese de colágeno pelo corpo depende de fatores como a disponibilidade de vitaminas e minerais específicos de cada colágeno, além da necessidade do organismo em sintetizar aquele tipo de colágeno.

Como a maioria de sua estrutura é composta dos 3 tipos de aminoácidos já citados, o colágeno não é uma boa "fonte de proteínas", pois não oferece todos os aminoácidos essenciais necessários à boa alimentação.

Classificação
Tipos de colágeno
Colágeno Tipo I
É o mais comum; aparece nos tendões, na cartilagem fibrosa, no tecido conjuntivo frouxo comum, no tecido conjuntivo denso (onde é predominante sobre os outros tipos), sempre formando fibras e feixes, ou seja, está presente nos ossos, tendões e pele.

Colágeno Tipo II
É produzido por condrócitos, aparece na cartilagem hialina e na cartilagem elástica. Não produz feixes. Presente nos discos intervertebrais, olhos e cartilagem. É retirado dos nervos quando vai se limpar carnes como o músculo bovino dianteiro. Não pode ser aquecido, é desidratado com sopro de ar levemente quente. É o mais caro encontrado nas farmácias e lojas de nutrição. Vem da China... Se comer quibe crú com músculo dianteiro moído sai muito mais barato ( o hortelâ é um potente vermífugo ).

Colágeno Tipo III
Presentes em músculo liso, endoneuro e nas trabéculas dos órgãos hematopoieticos (baço, nódulos linfáticos, medula óssea vermelha); artérias, fígado, útero e camadas musculares do intestino. Abundando no tecido conjuntivo frouxo, é encontrado na artéria aorta do coração, nos pulmões, nos músculos dos intestinos, fígado, no útero. Constitui as fibras reticulares (fígado crú e outros - se cozinhar perde o valor).

Colágeno Tipo IV
Aparece na lâmina basal, um dos componentes da membrana basal dos epitélios. Presente nas lentes da cápsula ocular, glomérulos.

Colágeno Tipo V
Está presente nos ossos, tendões e sangue.

Colágeno Tipo VI
Está presente no sangue, camada íntima da placenta.

Colágeno Tipo VII
Está presente nas membranas corioaminióticas e na placenta.

Colágeno Tipo VIII
É endotélio.

Colágeno Tipo IX
Ele tem a função de manter as células unidas e é o principal componente protéico de órgãos

Colágeno Tipo X, XI e XII
Está presente na cartilagem.

Colágeno que formam longas fibrilas
As fibrilas de colágeno são formadas pela agregação de moléculas de colágeno do tipo I, II, III, V e XI, que se agregam para formar fibrilas claramente visíveis ao microscópio eletrônico. O colágeno do tipo I é o mais abundante, sendo amplamente distribuído no organismo. Ele ocorre como estruturas classicamente denominadas de fibrilas de colágeno e que formam ossos, dentina, tendões, cápsulas de órgãos, derme etc.

Colágenos associados a fibrilas
Colágenos associados a fibrilas são estruturas curtas que ligam as fibrilas de colágeno umas às outras e a outros componentes da matriz extra celular. Pertencem a este grupo os colágenos do tipo IX e XII.

Colágeno que forma rede
O colágeno cujas moléculas se associam para formar uma rede é o colágeno do tipo IV e VII. O tipo IV é um dos principais componentes estruturais das laminas basais, onde tem o papel de aderência e de filtração. O tipo VII forma dímeros que se reúnem em estruturas especializadas denominadas fibrilas de ancoramento. As fibrilas de ancoramento auxiliam a conexão da lâmina basal do epitélio de múltiplas camadas ao tecido conjuntivo subjacente e, portanto, sao especialmente abundantes na pele.

Colágeno líquido, capsula ou pó
O colágeno hidrolisado pode ser encontrado na forma líquida, em capsula ou pó.

O colágeno em pó é o mais difundido entre as apresentações do produto devido à baixa atividade água (umidade normalmente próximo de 8%), o que garante uma estabilidade muito grande da proteína (chegando a 5 anos na embalagem original de fabricação). Esta apresentação em pó normalmente apresenta um preço mais baixo que as outras apresentações. Esta apresentação, quando vendido puro (sem aditivos ou sabor) requer uma melhor qualidade sensorial (sabor neutro).

As cápsulas de colágeno são o produto em pó, inserido na cápsula garantindo doses, normalmente miligramas do produto. É bastante útil para quem tem facilidades em ingerir capsulas e evita a necessidade de diluição. Esta apresentação permite utilizar um produto de baixa qualidade sensorial (sabor característico mais evidente). É necessário avaliar a dose/cápsula para analisar a relação custo/benefício.

O colágeno líquido pode ser obtido através da exclusão da etapa de secagem do colágeno hidrolisado ou da diluição do colágeno em pó. Normalmente essa apresentação requer a necessidade de conservantes e agentes de sabor. É necessário conferir a concentração do produto para analisar a relação custo/benefício.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Col%C3%A1geno

2- De onde é extraída a gelatina ( colágeno )?

Ela é feita de uma proteína animal chamada colágeno, tirada quase sempre do couro do boi. O processo inicia-se com a preparação das raspas dessa pele. "Depois vêm as etapas de extração, filtragem, concentração, esterilização, secagem e moagem", afirma Alexandre Ferreira Costa, técnico da Kraft Foods. O resultado é um pó incolor, com aplicações não só na indústria de alimentos, como na farmacêutica e outras. Para fabricar a gelatina consumida como sobremesa, esse pó é acrescido de aromatizantes, corantes e açúcar ou adoçante. A transformação do pó em alimento, já em casa, se dá através da hidratação das cadeias de moléculas de proteína e da retenção da água pela formação de ligações entre essas cadeias. A hidratação da gelatina ocorre quando ela é dissolvida em água quente. Assim, as moléculas de água conseguem penetrar no interior da cadeia de moléculas de proteína. Com o resfriamento, as moléculas de água são aprisionadas e o líquido solidifica, formando a gelatina (a gelatina é cozida e tem menos valor nutricional que os colágenos crús).

Do couro do boi à mesa Proteína da pele animal é a base da gelatina

1. O couro do boi é raspado

2. As raspas são tratadas com substâncias químicas para extrair a proteína, que faz a gelatina (colágeno)

3. Na filtragem, o colágeno é limpo de restos de gorduras e fibras

4. A solução é concentrada em evaporadores, esterilizada e seca

5. Por fim, o produto seco é moído, gerando um pó incolor

http://mundoestranho.abril.com.br/materia/de-onde-eextraida-a-gelatina

(a gelatina é cozida e tem menos valor nutricional que os colágenos crús)

3- GELATINA: PARA FORTALECER OSSOS, TENDÕES, MÚSCULOS, LIGAMENTOS...

A gelatina é uma proteína purificada, de origem animal, isolada através da “quebra” parcial das proteínas do colágeno, encontradas naturalmente nos alimentos. O colágeno é uma proteína que participa da formação estrutural do nosso organismo, tecidos e ossos, e representa cerca de 33% do total de proteínas dos mamíferos.

A gelatina contém 18 aminoácidos, dos quais 9 essenciais entre os 10 que o organismo necessita, e que só conseguimos através da alimentação.A gelatina é de fácil digestão e utilização.É um alimento puro e é composta por cerca de 84% de proteínas, 2% de sais minerais e água. É livre de carboidratos e gorduras, assim como de colesterol ou purinas.

Um organismo saudável necessita de colágeno para a manutenção do tônus muscular e de uma pele firme, com uma reposição diária de aproximadamente 1g por quilo de peso. Pesquisas mostram que, por volta dos 25 anos o organismo começa a diminuir a produção de colágeno em relação à necessidade constante dessa molécula no processo de rejuvenescimento e reparação celular (a gelatina é cozida e tem menos valor nutricional que os colágenos crús).

Aos 50 anos, o corpo só produz em média 35% do colágeno necessário. Supõe-se que esta seja uma das principais causas do envelhecimento. Com a diminuição do colágeno, os músculos ficam frágeis e flácidos, diminui a densidade dos ossos, as articulações e ligamentos perdem a elasticidade e a força, a cartilagem que envolve as articulações fica frágil e porosa, com aspecto de esponja. Os cabelos perdem o viço, pois diminui a espessura do fio capilar. Alguns órgãos podem sofrer deslocamento e apresentar mau funcionamento. A pele fica mais fraca, desidratada e sem elasticidade, levando à flacidez e ao aparecimento de estrias, e também ao aumento da reserva lipídica.

A mais importante propriedade da gelatina é sua capacidade de formar um gel, que quando misturado com a água pode passar do estado sólido para o liquido através do aquecimento e vive-versa quando resfriado. A gelatina é muito utilizada como agente de ligação em sobremesas, em aplicações farmacológicas.

Nós já sabemos que a melhor forma de prevenir doenças é se alimentar bem e fazer exercícios com regularidade. Então, a reposição de colágeno através de alimentos como carnes, principalmente as vermelhas, pode auxiliar nesta prevenção. Para os que não são adeptos ao consumo de carnes, a industria alimentícia vem desenvolvendo produtos, como colágeno em pó ou liofilizado. Através da suplementação alimentar o organismo consegue de maneira significativa as quantidades e os benefícios do colágeno, o que é excelente para os vegetarianos, por exemplo.

O colágeno permite que o organismo mantenha um equilíbrio na massa muscular e auxilia na utilização das reservas lipídicas e de açúcar, e quando associado ao exercício físico ajuda na diminuição da flacidez e no aumento da massa muscular. A ingestão diária de 10g de gelatina, por um período de no mínimo 8 semanas é recomendada para os benefícios propostos pelos pesquisadores.

Novos estudos clínicos demonstraram aumento na mobilidade de todas as articulações e uma redução na dor em casos como artroses, com administração de gelatina hidrolisada por várias semanas (peso molecular 3000-8000 Daltons – expressa o grau de gelificaçao e firmeza de uma gelatina em particular).Esta aplicação correspondente é panteteada internacionalmente. Resultados de outros estudos mostram que a osteoporose pode ser permanentemente interrompida após administração de gelatina hidrolisada especial.

No caso de cabelo fino, frágil, sem brilho e quebradiço, foi verificada uma melhora na estrutura do cabelo e um aumento de crescimento acima de 30% de fortalecimento de unhas, bem como a elasticidade da pele e fortalecimento dos tecidos conectivos.

O fibrolasto é a célula que sintetiza colágeno, predominante na pele, ossos, cartilagens e tendões, e dá sustentação a pele. Por ser uma proteína fibrilar do tecido conjuntivo, tem como principal função impedir a deformação dos tecidos, mantendo sua forma estrutural.

As conclusões da pesquisa

Aqui vão os principais resultados de pesquisas feitas internacionalmente sobre o uso da gelatina para a saúde:

A ingestão diária de gelatina permite melhorar a hidratação da pele, especialmente quando associada a elementos como cálcio;

A ingestão diária de gelatina aumenta o crescimento e propicia uma melhoria acentuada na aparência dos cabelos, como redução significativa da seborréia, entre outros efeitos positivos;

Fortalecimento das unhas com doses diárias de gelatina, principalmente se associada ao consumo de vitaminas no complexo B;

Melhora significativa da mobilidade e redução da necessidade de analgésicos em pacientes artríticos, pela ingestão durante dois meses;

Ganhos antropométricos e motores significativos em esportistas, pela ingestão diária de 10g de gelatina hidrolisada durante 4 meses.

O que tiramos disso tudo é que vale a pena suplementar com a gelatina hidrolisada, encontrada nas principais lojas de produtos naturais ou especializadas, como uma fonte extra de proteína animal, que só traz benefícios, principalmente para os que não consomem fontes alimentares animais com regularidade. Só o fortalecimento de ossos, tendões, ligamentos e músculos, tão importantes na vida dos esportistas, já faz valer a pena tentar.

FONTE: REVISTA CONTRA RELÓGIO

5- Os 21 tipos de colágeno já detectados e suas funções

Como você sabe, os genes são um componentes hereditários presentes em todos os seres vivos que definem e transmitem as funções do corpo. Isto é, de acordo com a expressão desses genes, cada organismo se, de uma maneira ou de outra; e será mais ou menos preparado para executar determinadas tarefas comuns em uma espécie.

No entanto, embora o colagénio é uma proteína em si, ele existe em muitos tipos diferentes, cada um dos quais com uma informação genética diferente.

Os conhecidos são:

• Tipo I: Está presente principalmente nos ossos, pele, córnea e tendão. Ele tem um tamanho de cerca de um milionésimo de milímetro e vem sob a forma de fibra com estrias. Estes são agrupados para formar cadeias cujas principais funções são para fornecer um corpo de estiramento e com a força.

• tipo II encontra-se principalmente na cartilagem, mas também em certas estruturas dos embriões. As suas dimensões são semelhantes às do colagénio do tipo I, bem como a sua forma, também alongado. Suas funções principais são a proporcionar resistência a estes tecidos, e a pressão para executar intermitentemente.

• Tipo III: a sua própria tecidos dos músculos e veias, pele e várias glândulas do corpo. É cerca de duas vezes o colágeno tipo I e II e sua função principal é a realização de vários órgãos.

• Tipo IV: Parte das membranas de um tipo de muito presente nas células da pele. O seu papel neste corpo é dar apoio e capacidade de filtrar várias substâncias.

• Tipo V: está presente na maioria dos tecidos no interior, especialmente nos vários elementos funcionais que revestem o corpo, tais como órgãos. Sua missão é dar a essas partes do corpo a capacidade de esticar e resistir a todos os tipos de fatores.

• Tipo VI: É praticamente as mesmas partes que as de tipo VI, embora, neste caso, a sua função é ajudar as células que são fixos no ponto em que era necessário para desempenhar a sua função.

• Tipo VII: Ele está localizado principalmente na lâmina basal, que é uma estrutura do corpo, cuja função é a de servir como uma separação entre os diferentes componentes do corpo, tais como as fibras musculares do tecido da pele. A função desta proteína é fazer com que a lâmina basal resistente e elástico.

• Tipo VIII: Ele está localizado no interior de células endoteliais, que são responsáveis ​​para o revestimento dos vasos sanguíneos e capilares. Dá-lhes a força ea capacidade de esticar.

• Tipo IX: Sua presença é crucial na cartilagem articular. Dá resistência a estes tecidos, bem como a capacidade de suportar a pressão intermitente.

• Tipo X: está presente em dois tipos de cartilagem hipertrófica e mineralizada chamados. Ele ajuda a dar-lhes força e elasticidade.

• Tipo XI: Também localizado na cartilagem. Muitas vezes, combinado com o tipo II e X para proporcionar uma maior elasticidade e dureza para estas estruturas.

• Tipo XII : Ele está presente nos tendões e ligamentos, duas partes do corpo sujeitas a alta tensão. Interage com colágeno tipo I e III para fornecer essas estruturas de poder, elasticidade e aderência.

• Tipo XIII são importantes para oferecer resistência à membranas celulares, para que eles ganham em vigor e capacidade de se espalhar.

• Tipo XIV: Ela está presente na medula óssea e na placenta. Este último ajuda a dar consistência.

• Tipo XV pode ser encontrado em embriões e várias estruturas que estão à sua volta, o que dá a força.

• Tipo XVI: Um tipo de colágeno, que está localizado em vários músculos do corpo do animal e interage principalmente com o tipo I para ter resistência e elasticidade.

• Tipo XVII é um componente principal da membrana celular que contribui para o tornar mais resistente.

• Tipo XVIII: ele pode ser encontrado em áreas como a pele e vasos sanguíneos; o que torna a mais forte.

• Tipo XIX: Ele está presente em certos tecidos conjuntivos, assim como no fígado, um órgão que tenha apenas 4% de colagénio, uma das áreas do corpo com a menor percentagem de proteína presente.

• Type XX: Localizado nos tendões, a córnea e cartilagem, o que lhe confere uma capacidade de resistência.

• Tipo XXI: Sua função é dar elasticidade e resistência às áreas onde se encontram estabelecidas. Quem são esses? O coração, gomas ou ossos, entre outros.

Como você vai ver, a maioria dos tipos de colágeno tem duas funções principais: fornecer força e elasticidade para as partes do corpo em que eles estão localizados. No entanto, também é possível notar que, dependendo da área ou tecido onde ele está localizado, adote um comportamento diferente. Tudo isso, para ajudar o corpo a ser mais eficiente em seus processos e estar mais preparados contra a agressão externa. Claro que, como o ditado popular: a natureza é sábia.

http://www.elcolageno.com/tipos-de-colageno

A FACULDADES DE MEDICINA CLAMAM POR ANIMAIS NAS PESQUISAS - SEM ANIMAIS NÃO HÁ BONS MÉDICOS

Colágeno Precisamos Ingerir 12 Tipos Diferentes Extraídos de Origem Animal

Colágeno Precisamos Ingerir 12 Tipos Diferentes
 

Conhecer a história de um homem que teve a vida destruída por ex-mulher que implantou falsas memórias nos filhos.

comente: blog@artisnobilis.com